3 Nada mais que poesia

por Israel França

Dizem que são fracos meus poemas
Com frases que nem sei onde rimo
Posso citar a impureza da açucena
E mostrar a incerteza do divino

Mas os tolos exigem muito mais de mim
Querem que eu edite um soneto de verdade
Mas a forma me confunde, terminarei tarde
Assim meus versos não terão um fim

Sem coragem não posso começar
Pois isso é bastante complicado
Tenho meus defeitos, sou limitado
Veremos onde isso vai parar

Ensine-me, transforme-me de uma vez
Há muito mais que isso nesses versos
Já chega! Tentei uma, duas e até três

O que é um soneto? Direi de uma vez
É um poema comum com quatro versos
Dois de quatro linhas e outros dois de três

É o amor expressado em forma de arte
Com rimas suaves, cativantes e com fervor
Eu nunca soube o que é amar de verdade
Porém sei o que rima com amor

Nossa! Como é gostoso fazer rimas
Mas tem umas que me prende por meses
Coloco uma frase embaixo, outra em cima
Corrijo uma, duas, três, quatro vezes

As rimas não saem, as palavras somem
A mente dá um branco, respiro fundo
Sou apenas um ser ignorante, um homem
O que seria da poesia sem rima?, pergunto

"- Dos piores você é simplesmente o pior
Amigo, você precisa aprender lendo"
Eu corto: "se juntos rimaríamos melhor,
O que sozinho estou aqui fazendo?"

"- É que seus versos são longo demais
Para serem apreciados por preguiçosos
Você não pode ser ligeiro e sagaz
Sem abandonar seus méritos e esforços"

Como eu queria aprender com os grandes!
E não mais sonhar como esses pequenos
Loucura! Tento rimar “pequenos” com “antes”
E a palavra “antes” com o que estou fazendo

É desconexo, absolutamente incoerente
Fazer poemas para mim não dar certo
Busco paradoxos insanos de minha mente
Estando longe e ao mesmo tempo perto

"- Mas o que interessa é essa poesia
Que não sai nem com reza braba
Em vão você faz o que outros não fariam
Está errado! Eu ordeno que refaça

Me prendo a essa poesia delirante
E não aquela que acabei de rasgar
A anterior parecia mais amante
Resgatei a qual pretendia abandonar

"- Não serve! O que fez foi apenas isso:
Um monte de frases toscas e sem valor
Colou o isolado, separou o misto
Mais uma vez rimando sem fervor"

Estou sentado aqui nesse banco, só
Esperando que os tolos me digam as metas
“Faz assim”, “desse jeito”, “assim é melhor”
Olha só quem manda, porém nunca acerta

"- Foi essa sabedoria que você herdou,
Dos escritores tolos de meia idade?
Critico sim! Nem ouvir o que falou
Você é impuro, infeliz e covarde"

Comparar-te-ei com um animal irracional
Ou um delinquente que destróe o mundo
"- Desista de sua utópica poesia banal
E compare-se com um simples vagabundo"

Não posso ouvir seu discurso errante
Que é pobre de ideia nova e coerente
Meu livro brilha ali naquela estante
E já tornei feliz muito leitor carente

Poderia esperar o fim do mundo
Em que tudo o que é ruim se abala
E não fazer um só conteúdo profundo
Que arrepiam até quem mal fala

Poderia esquecer de tudo, é verdade
Menos de fazer rimas pra minha gente
Mas este é o meu futuro, é minha arte
Alegrar com minha literatura docente

O que leva um homem a fazer poesias
Se a nossa vida é a rima da falência?
Mas poesia não é feita só com rima
É feita com amor, fervor e eloquência

Amigo, aqui está o show que me pediu
Esse sou eu. E isso inclui o meu fonema
Leia, e olhe que a melhor rima não saiu
Pois desconheço quem ler o meu poema?

Meu trabalho aqui está pronto
Concluído, findado, bem feito
Porém um pouco desalinhado
Mas os imbecis tem estragado
O amor extraí do meu peito

Meu trabalho é servir, obrigado
Provei só porque pediram
Não posso mais, estou fatigado
Nem ao menos leram, riram

Autor: Israel.França

preserve os direitos do autor
_______________________________
para mais informações entre em contato

3 Respostas para "Nada mais que poesia"

  1. Célia Regina 15 de junho de 2010 07:01
    Bom dia, Israel... Haja inspiração! Fique sempre perto... Gosto d eler seus textos... Há!braços!
  2. Levi Ventura 22 de junho de 2010 21:01
    Olá Israel, tou por aqui novamente.
    Você soube levar o poema num ritmo bom que não nos deixasse entediados e ao mesmo tempo conseguiu deixar a sua mensagem.
    Parabéns ae.

    Levi Ventura
  3. Célia Regina 23 de junho de 2010 11:12
    Bom dia! Faço-lhe uma vista e deixo uma msg:É exatamente assim que vivo:
    Tal qual uma girafa.
    Às vezes sinto meu corpo a enfrentar uma tremenda tempestade
    Mas, minha cabeça está sempre no alto.
    Onde brilha o Sol da Justiça!
    É do alto, do "Pai das Luzes",
    Que vem a minha força
    É, nEle que me refugio!
    (http://saofranciscobyceliaregina.blogspot.com/2010/06/tal-qual.html).
    Tenha um bom dia!

Postar um comentário

Escreva para o Além da Literatura. Contribua com o seu talento. Entre em contato para maiores informações.